sábado, 17 de janeiro de 2009

sereno





serei assim:
por completa sinceridade,
cobrindo as extremidades deste corpo-ilusão.

de segundo em minuto,
trasformo-te em mais um conto amoroso
nesta minha perfeita criação.

privando-me do infinito,
quisera eu um dia ser
mais uma nessa incontável imensidão;

mas estarei assim:
por completa insanidade,
despindo as mentiras que usei em minha sedução.

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

impaciente



ah, mas não tem nada não.
daqui tu não me tiras,
amarrei-me nas grades desse portão.

ora, por que não desiste?
entenda logo, coração
nada há de restar
se insistir em procurar.
mas se me pegar sem pensar
é que em mim não devo estar.

então,
me escuta aqui, bem de perto:
já não te sobras mais o que colher,
da minha carne tu provastes
sabendo que não iria mais ter.

e se te explicar assim...
levinho, bem carinhoso:
não perca teu tempo, bem meu
demoras tanto pra crer
que só me entende quem já morreu.