domingo, 19 de outubro de 2008

não há oceano no mundo
que de conta de aguar
a dor que carrego
por ter que te deixar.

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

descontrole



esse futuro cantado,
diariamente reafirmado,
desconstrói-se em pranto
no meu grito afobado;

zelado e enterrado
junto a escuridão do passado:
está este amor;
descrente e encardido
por destruição sabida,
a qual escrevi com tinta sem cor.

não veja-me insano,
bandido nem espartano.
impor a ti o eterno fardo
de carregar-me em gosto amargo
nunca,
foi o meu plano.

sábado, 4 de outubro de 2008

Beatriz ll




cabe em mim.
completando e levando tudo
a fora;
bem pra perto do fim.
embora,
minha tristeza se esvai assim...

num riso teu,
e numa fala piegas, eu
quero contrafazer:
felicidade minha tu carregas
no teu simples viver.