quinta-feira, 29 de março de 2007

encanto de uma doce surpresa
em linhas curtas, proeza
numa sinceridade sem fim,
que em mim
entranhou como tristeza
daquelas que de onde vem,
não sabemos,
e muito menos
como pode partir
pra reconstruir
aquilo que nem sou capaz;

não escolhe ao que ama
só sabe entender o que faz.

sem maldade entrega a qualquer um
o simples relato de uma história
ou de uma viagem comum
que oculta e personificada passa a trazer, você
como papel principal
daquela inesperada chegada,
sem final.
Em construção...